O Boêmio

(interpretação: Kondor) 


(Confesso que sou, e que gostaria que muitos mais de nós também o fossem!)
 
 
O Boêmio, "avis rara" neste mundo utilitarista, não é mais o "playboy" de outrora, reluzente, intolerável e transviado frequentador  da roda da "hight society", mas sim, cada vez mais um "stranger in paradise"...
Nada quer para si...Não tem ódios...É puro de pensamentos...e de anseios...
Esquece o mal que lhe fazem, mas guarda no coração os benefícios que recebe...
Não é "puxa-sacos", não faz rapapés aos poderosos ocasionais, nem sequer mais solta galanteios à primeira dama elegante que apareça...
Nunca vi boêmios atrás de empregos polpudos, promoções, casamentos ricos, posição social, convites para festas...
Também nunca vi passando telegramas hipócritas de pêsames ou até de felicitações...
O Boêmio só a ele mesmo prejudica, se é que possa se entender como prejudicial praticar quaisquer ações de acordo com sua própria consciência, liberto de preconceitos sociais, de concepções filosóficas mofadas, achadas em livros tão mofados quanto, passando por cima dos complexos e repelindo toda e quaisquer maledicências.
Ama a naturalidade e nada faz premeditadamente, nem mesmo com relação ao que mais admira...o sexo oposto !
Zomba da cupidez, porque o grande prazer é ser útil para as pessoas...
A generosidade de um boêmio é infinitamente maior do que a sovinice do avarento !
Seus gestos jamais se confundirão com falsas devoções...A sinceridade é seu escudo...A tristeza o seu demônio...Omar Kayan seu poeta preferido....Dom Quixote, seu herói predileto....De Chopin, seus ouvidos admiram a música...e...
Seu planeta só poderia ser a.... L U A ! 
Na cabeça dos boêmios as idéias se sobrepõem em desordem, porque seus pensamentos vivem misturados com os problemas humanos, entretanto, em seus corações a escrita é perfeita, débito e crédito são lançados com precisão absoluta e de forma indelével....
Supera, portanto, o conceito de que o Homem é feito para viver a vida, e não para compreendê-la, é como se fosse a nota perfeita lançada por um diapasão, sendo um revolucionário utópico, sem objetivos mediatos ou imediatos, agregando-se às lutas justas, marchando na crista dos acontecimentos, em defesa dos mais puros ideais, que são os da liberdade, da igualdade e da fraternidade. 
O procedimento social do boêmio é inalterável em qualquer lugar que esteja: em casa, no bar, na rua, no salão de bailes, na casa de um recém-conhecido...
Se está empregado, é sempre estimado entre seus colegas...
Se desempregado, não se aflige....aguenta a adversidade, atrás de um copinho de qualquer bebidinha...sem exageros...
Sempre é honesto no cumprimento do seu dever...
Desdenha dos relógios, pois estes lhes marca os segundos que bate seu coração...
O calendário somente serve para indicar o dia que deverá escrever sobre o papel...
A vantagem do boêmio sobre os demais bípedes implumes é que ele não sofre de insônia...dorme tranquilamente e, fato curioso, somente sonha acordado !
No conceito psicanalítico, o boêmio é extrovertido, portanto, de temperamento habitualmente alegre, derramado, pertencendo por isso à categoria das pessoas capazes de franquear verdadeiras amizades platônicas...
O Boêmio não tem temores nem supertições....
Simplesmente, aceita a consumação dos fatos....Não sofre as influências do meio em que vive (esta fez Darwin "revirar" nas tumbas...eh,eh,eh...)
Não gosta dos segredos alheios e nem faz revelações confidenciais...
A ternura do Boêmio pela sua família e amigos é algo sobrenatural, porém jamais proferida, pois teme a vulgaridade...
O Boêmio possui uma química interessante: Transforma em rosas as pedras que lhe atiram pelo caminho, sua alegria transborda no coração, não sabendo onde guardar as tristezas, e delas se desfazendo sucessivamente toda noite, antes de dormir...
O Boêmio não sofre as limitações normais aos demais mortais, nem está sujeito à força da gravidade, porque ele é o próprio centro do Universo...Tem extrema preguiça mental de ser religioso, porém acreditando frenética e paradoxalmente no Grande Arquiteto do Universo...Exatamente por isso, ele admira muito mais um circo, do que uma bela ópera, entenderam ?
Todo santo dia, o boêmio mata dentro de si as tristezas que afligem o mundo exterior, e reage incessantemente como uma criança em ritmo de desespero...
Porquê ?
Não sei, ainda não pensei nisso...e você, já tinha pensado nisso antes ?
Não ?!??!!....hum....então, que tal reparar primeiro no boêmio que existe dentro de ti, e, quem sabe, descobrir os vários boêmios existentes ao teu redor.
A Humanidade te será eternamente grata !
 
Adaptado do texto Ciro Bastos
 

 **********

Clique na imagem e envie para até 10 pessoas

CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!

Home||Menu||Livro de Visitas||E-mail

OlhosDe£in¢e


webdesigner:
*Ja(Mulher)*